Terça-feira, 04 de Agosto de 2020
 
Ex.: vendedor, balconista e etc.
 
Projeto que busca ensinar português aos haitianos é ampliado em Flores da Cunha
Foto: Prefeitura de Flores da Cunha
Na foto, os profissionais da Evidência Recursos Humanos Diego e Johnny com haitianos.

O projeto Comunicação e Cidadania, implementado pelo Centro de Referência em Assistência Social (CRAS), que oferece aulas de língua portuguesa para os haitianos residentes em Flores da Cunha, foi ampliado. Desde 2013 as aulas ocorriam somente na Escola Leonel de Moura Brizola, no Bairro Pérola, sendo que a partir de março de 2014, as aulas também acontecem na Escola São Rafael, no Bairro Aparecida. Os encontros ocorrem das 19h às 22h. Na Escola Leonel de Moura Brizola, nas terças-feiras e na Escola São Rafael, nas quartas-feiras.

As aulas são administradas pelo professor de língua portuguesa Diego Mondadori (Evidência Recursos Humanos) e do orientador haitiano Johnny Lazard (Evidência Recursos Humanos). Johnny está no Brasil há dois anos e fala fluentemente português. Ele faz a tradução do que é explicado em aula. 

Conforme o Secretário de Desenvolvimento Social, Ricardo Espíndola Silva, o projeto foi desenvolvido para trazer inserção social, cultural e profissional dos haitianos ao município. '' A gente tem buscado atender essa população próximo as comunidades de onde eles estão morando'', salientou.

Cerca de 100 haitianos estão morando na cidade. A grande maioria deles já aprenderam o português e já estão inseridos no mercado de trabalho. No grupo da Escola Leonel, cerca de 25 haitianos frequentam as aulas, e na Escola São Rafael, como é recente, 15 haitianos. '' Em média de três a seis meses eles conseguem aprender o necessário do português para conseguir conviver na sociedade normalmente e conseguir ter acesso ao emprego'' comenta Silva.

 

 

05/11/2014
Fonte: Prefeitura de Flores da Cunha