Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020
 
Ex.: vendedor, balconista e etc.
 
Evidência Recursos Humanos de olho na Empregabilidade em Carazinho
Foto: Fábio Saltiél - Jornalista e Radialista
Reportagem sobre Empregabilidade para o Jornal Diário da Manhã.

Na semana passada, recebemos a visita do  jornalista e radialista Fábio Meregalli Saltiél.

Na oportunidade, conversamos sobre a empregabilidade na cidade de Carazinho, os desafios enfrentados pelas empresas relativos às questões de contratação e retenção de mão-de-obra e sobre as expectativas de vagas temporárias com a chegada do Natal.

Abaixo você confere na íntegra as informações repassadas por Taís Eitelwein, administradora de empresas e Carolina Silveira, coordenadora de RH.

 

 

1 – Constata-se atualmente em Carazinho e Região que existe um número significativo de vagas abertas, entretanto existem poucos candidatos. Pergunto: a que isso se deve? Por falta de capacitação dos profissionais ou devido ao baixo número de desemprego? Desenvolver.

 

Na verdade, as vagas realmente existem e não estão sendo preenchidas. Não se trata do baixo número de desemprego e sim da carência de mão-de-obra, especialmente na área operacional masculina, pois existem várias indústrias em Não-Me-Toque que já absorvem esses profissionais, havendo hoje um déficit no mercado da nossa cidade desta mão-de-obra.

 

Empresas do comércio em geral, supermercados, farmácias e padarias também sofrem rotatividade em função do horário de atendimento estendido. Os profissionais ingressam na empresa e desistem antes mesmo de completar o contrato de experiência por acharem a rotina muito cansativa. Em outros casos, as vagas não são preenchidas simplesmente por problemas de postura pessoal e profissional.

 

Ocorrem também situações em que o profissional é qualificado, tem o perfil exigido pela vaga mas a empresa não tem o suporte adequado para a retenção deste talento, isto é, não tem uma política de recursos humanos definida, possibilidade de crescimento, plano de benefícios, o que leva o profissional a buscar outras oportunidades onde ele consiga uma melhor colocação.

 

2 – Que medidas seriam necessárias para reverter esse quadro no que se refere à falta de capitação? A Evidência oferece cursos?

 

Para reverter esse quadro, é necessário uma mudança de perfil tanto das empresas quanto dos candidatos. De um lado os profissionais tem que observar que tão importante quanto o conhecimento, são as suas atitudes. E, é requisito obrigatório a busca pela qualificação. De outro, as empresas tem buscar melhorar sua forma de trabalho para atrair e reter bons profissionais e não ser apenas formadora de mão-de-obra.

 

A Evidência oferece cursos profissionalizantes em diversas áreas, para a preparação e reciclagem dos profissionais que estão em busca de oportunidades no mercado de trabalho, inclusive, a aula inaugural de todos os nossos cursos se refere à postura no ambiente de trabalho, marketing pessoal e outros assuntos pertinentes à dificuldades que o colaborador enfrenta na sua adaptação dentro das empresas e também atendendo as queixas dos empresários e profissionais de RH que nos reportam situações onde os colaboradores não tem o comprometimento adequado, um bom posicionamento diante das tarefas, e até mesmo situações de indisciplina e insubordinação. 

 

Em relação ao deficit de mão-de-obra masculina, as empresas que oferecem benefícios, proposta de crescimento e valorização profissional acabam sendo as mais procuradas, e as demais organizações se tornam 'formadoras de mão-de-obra', servindo como ponto de partida para os profissionais se instrumentalizarem e conseguirem melhores oportunidades. Já existem algumas iniciativas no sentido de contratação de mulheres para as vagas operacionais e de produção, mas são poucas! Hoje temos muitas pessoas do sexo feminino que buscam este tipo de trabalho e nem sempre as empresas abrem as portas para essas profissionais.

 

3 – O período de contratação para vagas temporárias está chegando (15/11), quais são as perspectivas de 2011 comparado a mesma ocasião do ano passado? Quais áreas devem se destacar e oferecer mais vagas e por quê?

 

O nosso histórico de atendimento de vagas temporárias é relacionado a empresas de grande porte do comércio e redes de supermercados. As empresas de pequeno e médio porte geralmente utilizam seus próprios contatos, contratando algum familiar ou ex-funcionário que já tenham à disposição no seu Banco de Talentos. a tendência é de que as vagas na área de vendas internas e externas gerem maiores oportunidades devido às vendas de Natal.

 

 

4 – Em relação a 2010, de todas as pessoas que foram contratadas como temporárias qual o percentual das mesmas continuou na empresa? A que se deve esse aproveitamento?

 

Em nossos registros de atendimento temos 100% de aproveitamento. Isto se deve ao fato da Evidência buscar em todos os momentos o atendimento qualificado e personalizado, estreitando relações com as organizações para identificar o perfil do colaborador, a descrição de funções desta vaga, mesmo que temporária, para a indicação assertiva, que atenda ás necessidades da empresa, respeitando sua cultura e disponibilizando o profissional que venha a contribuir juntamente com a equipe que a empresa já dispõe. Da mesma forma, quando recebemos o candidato, ele é entrevistado por profissionais de RH, responde à uma avaliação de perfil profissional que irá identificar suas competências e habilidades e é também avaliado por uma psicóloga, para sabermos exatamente para que segmento o seu perfil é voltado, quais são seus objetivos pessoais e profissionais, buscando sua colocação de forma que permaneça na empresa, evitando assim os custos gerados pela sua não adaptação.

 

5 – Considerações que acredita que venham a colaborar com comunidade de Carazinho no ingresso ou reingresso no mercado de trabalho?

 

Acreditamos que as pessoas que tiverem um posicionamento de persistência, comprometimento e respeito à oportunidade que lhe está sendo oferecida tem mais chances de experimentar o crescimento profissional e a valorização do seu trabalho.

 

Hoje em dia, é necessário além do conhecimento técnico e experiência na área, a habilidade do profissional para colocar em prática todo este conhecimento, de forma eficiente e eficaz, e também são analisadas as atitudes deste colaborador, o conhecido CHA (Conhecimentos, Habilidades e Atitudes) tão falado pelos Gestores de RH.  As empresas anseiam por pessoas que tenham iniciativa, interesse, boa vontade, muito mais do que esperam por profissionais com formação e capacitação para o trabalho. O capital humano está sendo reconhecido, estão sendo implantadas políticas de retenção de talentos, mas quem se beneficiará disto são os profissionais capazes de gerar resultados, que se comprometam com os objetivos das organizações, aliando sua dedicação à empresa ao alcance de suas metas pessoais.

 

A carência deste tipo de profissional pode estar ligada a correria gerada pelo mundo globalizado onde vivemos, o que tem acarretado um imediatismo generalizado e ´também a fatores educacionais e de formação familiar. As pessoas não tem mais persistência para se disponibilizar à empresa e produzir o seu crescimento profissional, já querem iniciar no topo e trocam de emprego sistematicamente até que se sintam confortáveis e valorizados, sem avaliar que estão recebendo uma oportunidade de trabalho. Por qualquer motivo discutem, se queixam, fazem intrigas, sendo o relacionamento interpessoal um dos maiores desafios para os gestores.

 

A Evidência busca realizar um trabalho diferenciado de orientação quanto a este posicionamento, procurando preparar o profissional para a entrevista e acompanhando o seu desempenho no primeiro mês dentro das empresas. Mas ainda assim, com todo esse cuidado, enfrentamos situações desagradáveis onde o colaborador desiste do trabalho ou precisa ser substituído rapidamente pela sua postura inadequada. Temos excelentes profissionais, com qualidades e habilidades importantes, com formação e capacitação que não se adaptam e percorrem várias empresas, e em seu lugar conseguimos colocar um profissional de nível mais básico, que levará um tempo maior para dar o retorno esperado. Apesar de este procedimento aumentar os custos dispendidos pelas empresas, muitas organizações tem dado preferência a candidatos com um nível de conhecimento um pouco menor, mas que apresentem uma postura diferenciada em termos de humildade, respeito e disponibilidade, para moldá-los de acordo com a sua cultura

 


 

17/11/2011
Fonte: Diário da Manhã